29 de out de 2013

My heart is broken




É só isso o que tenho a dizer. Meu coração se partiu totalmente, eu não estou conseguindo nem escrever direito. Meu coração/vida é Jonas Brothers, eu não sei o que seria de mim sem eles. Meu emocional está tão abalado que eu nem consegui entrar no twitter hoje, só pra não ver o drama do meu fandom. Eu odeio ver aquela gente brasileira - normalmente cheia de alegria - tão triste. O que me resta é esperar, já que a banda só está acabada ``por enquanto´´. E a propósito, eu acho que essa menina que está pra nascer vai se sentir arrasada quando souber que seu pai e seus tios formavam a banda mais incrível do mundo e se separaram. Bom, espero que eles retornem. Por enquanto, o que tenho a dizer é que nunca vou deixar de ser jonatic. Por que a música deles está em meu coração, e não há nada que vá tirar isso de mim.

28 de out de 2013

04. Cry me a river



A adolescência é uma criança que morreu lá atrás

‘Por Demetria Lovato.
- Eu não acredito que vocês falharam! – Selena gritou com astúcia, encarando Wilmer e Justin.
- Por que você não vai tomar no cu? – Justin perguntou irritado. Estávamos com problemas sérios! Mesmo sem saber as verdadeiras identidades, a polícia estava na nossa cola. Era tudo culpa do Wilmer e desse anseio de poder que ele possui.
- Quem os denunciou? – perguntei indignada tentando entrar na conversa.
- Tinha outro cara dentro da casa, eu acho que ele chegou depois de nós. Eu o vi, mas não sei quem é... À uma hora dessas já deve estar morto – disse Wilmer.
- O Wilmer explodiu uma bomba praticamente na cara dele – Justin explicou.
- E agora a gente faz o que? – perguntei.
- Foge! – Selena respondeu imediatamente.
- Não, não sem dinheiro! Eu trouxe apenas uma barra de ouro, não vai dar pra gente fugir – Wilmer falou, ligando a pequena televisão em cima da mesa.
- A polícia ainda não tem notícias sobre os autores do atentado – uma repórter falou, segurando o microfone. Ela se encontrava em frente a uma casa completamente destruída – A principal testemunha é Joseph Jonas, o publicitário que também se encontrava na casa e quase foi morto no incêndio.
- É essa a casa! – Justin quase gritou.
- Joseph... – ouvi Wilmer murmurar – Eu vou atrás desse cara.
- Não vai nada, Wilmer você já tá cheio de problema! – Selena demandou.
- Você acha que eu vou deixar esse viado acabar com os meus planos e sair ileso?!
- Ileso?! Ele quase morreu! – ela gritou.
- Você fala isso como se nunca tivesse matado ninguém.
- E o que você pretende fazer, sr. Sabe tudo? – ironizei.
- Eu não vou fazer nada, Demetria. – ele ergueu as sobrancelhas – Você vai.

‘Por Kevin Jonas.
É claro que eu estava preocupado. Joseph nunca tinha se envolvido em acidente nenhum, ele costumava dizer que era feito de ferro. Nunca desmaiou, nunca teve febre nem catapora. Então ver tudo isso acontecendo era simplesmente... Devastador. E o pior é que eu não conseguia acalmar Carly! Ela chorava compulsivamente, já estava quase me fazendo chorar também. Danielle tentava abrandar a tristeza da menina, mas não conseguia. Nicholas e Miley já deviam estar nos esperando no pronto-socorro.
Chegando lá, seguimos direto para a recepção e uma jovem nos deu as informações. Não podíamos entrar ainda por que o paciente estava impossibilitado de receber visitas e teríamos que esperar a autorização do médico. Nick ficou indignado; ele sempre fora explosivo com esse tipo de coisa. Todos nós estávamos muito aflitos, mas o jeito era esperar.
Meia hora, nada. Carly já havia se acalmado. Sem notícias, sem pré-avisos. Já passava das sete da noite. Passaram-se mais quinze minutos até que o médico vem ao nosso encontro.
- O caso não é grave – foram as primeiras palavras que saíram de sua boca. Carly abraçou minha cintura e suspirou de alívio. – O paciente está em coma leve, e na maioria dos casos demora pouco tempo pra acordar. Assim que ele despertar, já pode ter alta. – explicou – É importante que o Sr. Joseph fique um ou dois dias de repouso e depois pode voltar as suas atividades diárias normalmente.
- Mas ele vai ficar bem? – perguntou Danielle mexendo em seu colar.
- Vai ficar ótimo – disse o médico. – Vocês já podem visitá-lo, mas não o forcem a acordar, pois isso pode agravar o caso.

‘Por Wilmer Valderrama.
- Como assim? – Demetria perguntou sorrindo ironicamente.
- Você vai entrar na vida desse homem – sussurrei olhando em seus olhos. Eu sempre fui um cara persuasivo – E vai acabar com a vida dele aos poucos.
- Em troca eu ganho o que? – ela perguntou sem nenhum pingo de interesse.
- Em troca você não vai pra cadeia! – alteei a voz e ela me olhou assustada.
- Eu não consigo entender...
- Demi, você nunca foi idiota. Sabe muito bem o que estou querendo que você faça. – cheguei bem perto dela e rocei minha barba mal feita em seu pescoço. Ela se arrepiou. – Você vai trazê-lo até mim.
- Você quer matar ele, é isso? – indagou.
Parei de brincar com os cabelos dela e olhei bem em seu rosto.
- É.
- Sabe que é perigoso...
- E o que não é?
- Isso é um desafio.
- Sempre foi.
- Quer que eu finja tudo?
- Você é uma boa atriz.
- E o que vai me dar em troca? – ela perguntou por fim, quase cedendo.
A olhei por um instante, apenas fitando seus lindos olhos castanhos.
- Tudo o que quiser.
‘Continua.

hey beautifuls, postei rápido né? zçxkvc deu saudade u-u Esse capítulo já tava prontinho então resolvi postar pra não deixar vocês esperando! Se tiver erros ignorem, não revisei! Decidi que a fic não vai ser mais movida a comentários. Eu sei que tem poucos mas os que tem me movem a postar. Vou postar toda vez que puder, não vou ficar esperando comentário de ninguém por que sei que quando demoro as pessoas se chateiam. Vou continuar divulgando o blog pra ver se chegam mais seguidores lxkbnb quem tiver blog divulga eu? ♥ And hey, o que acharam do novo lay? Eu achei que ficou tão nhonhonho cara khjmnb é o primeiro layout com o feat dos jonas que eu vejo na vida! Ah, e entrem no blog da minha biguinha Rafaela, tá começando uma fic agora. Amo essa fic demais, vale o clique.
Tô indo, vou baixar mais algumas músicas da dems gostosavato o/ bjs, amo vocês!


esse cara é tão fofo, vocês não acham? vbnmjk

26 de out de 2013

03. We are in trouble



Se eu fosse jovem, sairia dessa cidade e correria atrás dos meus sonhos

‘Por Selena Gomez.
Demetria andava de um lado para o outro. Eu estava tranqüila, mas ainda pensava em Justin. Porra, o Justin sempre foi assim. Exagerado, chato, idiota. Mas eu o amo! Nunca consegui desfazer essa rixa que ele tem com a Dems, desde que entrou pro bando. O Wilmer nunca se estressou de verdade com nenhum de nós, ele é um cara tranqüilo, mas sabe mandar e tem autoridade.
- Eu acho que eles vão se dar mal – Demi sentou-se finalmente – A gente nem arquitetou um plano ou elaboramos um esquema. Odeio quando o Wilmer tenta bancar o fodão e acaba se esquecendo que precisa da nossa ajuda!
- Calminha gata, qualquer coisa a gente foge – tranqüilizei. Ela sorriu de canto; um sorriso sincero. Demetria parecia tão forte às vezes, mas eu consigo enxergar sua vulnerabilidade de longe por que ela sempre fora assim. Menina de duas faces.

‘Por Joseph Jonas.
Eu dirigia apressado. Não estava nervoso, mas era uma casa muito valiosa, e se eu conseguisse vender com certeza seria promovido! Esse não é bem o meu cargo, mas eu pretendo me aprofundar mais nisso.
Estacionei na fachada da casa e saí do carro, tirando as chaves do meu bolso. Eu achei que o cliente já havia chegado então entrei na casa. Escutei um barulho estranho vindo do porão, mas mesmo assim continuem andando em direção à sala. Outro barulho. Escutei algumas vozes. Deixei minha maleta sobre a mesa. Eu estava com medo, mas decidi arriscar dando mais alguns passos. As vozes agora estavam mais nítidas.
- Assim que acabarmos aqui nós vamos para o esconderijo – ouvi uma voz masculina falar. Não tive dúvidas; chamei a polícia e me escondi atrás de um troço velho de madeira. O primeiro homem saiu do sótão. Era um moreno alto e musculoso. Ele carregava uma bolsa grande que aparentava ser bem pesada. Eu não saí do esconderijo. Olhei diretamente para a câmera fixada num canto alto da parede. Estava coberta com fita isolante. Esse cara é esperto. De dentro do sótão saiu outro homem. Ele era loiro e magro que vestia uma jaqueta azul. De longe pude escutar algumas sirenes; a polícia havia chegado! Eu não estava entendendo o que estava acontecendo, mas eu sabia que esses dois bandidos estavam roubando alguma coisa.
Escutei alguns gritos elevados e um estrondo que quase me deixou surdo. Eles haviam colocado fogo na casa! Saí correndo pela porta dos fundos e me deparei com os dois bandidos fugindo pela parte de trás do casarão. Os policiais estavam desvairados por causa da fumaça. Um dos malandros ainda me olhou de relance, mas não veio atrás de mim. Ele carregava uma coisa brilhante e amarela. Ele jogou outra bomba agora bem perto de mim, hasteando fogo na grama do jardim. Corri pra dentro e percebi que a frente da casa estava totalmente detonada! Efeitos da bomba que eles jogaram. Meu coração batia muito rápido, havia fogo se alastrando pela casa. De repente senti um jato muito forte de água me atingir em cheio no rosto. Cambaleei e acabei encostando minhas mãos no fogo, queimando a parte superior. Eu sentia minha pele arder. Soltei um grito de dor e olhei para as minhas mãos vermelhas. Minha visão ficou turva. A fumaça invadiu todo o meu corpo e eu perdi a consciência. Desabei ao chão e o último pensamento que tive antes de apagar foi o rosto de Carly me dizendo que tudo iria ficar bem.

‘Por Carly Louise.
- Xeque mate – eu disse finalmente, movimentando meu bispo até o rei. Tio Kevin suspirou derrotado.
- Por que você sempre ganha? – perguntou ele levantando.
- Por que sou melhor que você – eu sorri levando o tabuleiro até a sala. Sentei no sofá e liguei a televisão. Senti um cheiro bom de comida; tia Dani sempre fora boa cozinheira.
- Um dia ainda vou te levar pra jogar sinuca! Aí você vai me ver em ação – tio Kevin falou sentando se ao meu lado. Comecei a rir. De repente seu celular tocou e ele atendeu.
- Alô? – falou ele com uma cara despreocupada – Sim, sou eu mesmo... Ahan... – parou um pouco e me olhou alarmado – Onde foi isso?!... Ele vai ficar bem?
- O que foi tio...? – indaguei preocupada. Ele não respondeu.
- Eu vou pra aí agora... Ok, até mais – desligou e olhou pra mim receoso – O Joseph tá no hospital... Ele está em coma.

‘Continua.

My bitches :p
Postei rápido, né? É que eu estava morrendo de vontade de postar, nem sei por que :3 Stay voltooou õ/ Eu tava com saudades dessa fic, por que ela é meio diferente de tudo o que eu já escrevi. Amo essa web u-u Eu já tenho toda a história na minha mente, tudo o que vai acontecer. Só tenho que pegar o rumo certo... Tomara que eu consiga, por que sempre perco o fio da meada, em todas as minhas fics. Mas isso é falta de atenção, pelo menos eu acho que é. Leitoras fantasmas, cadê vocês?! laksjcxzsa vocês não sabe como é bom ler o comentário de cada uma de vocês, saber que estão gostando... Quando vou conferir a postagem tem dezenas de acessos, mas poucos comentários. Isso é chato, sabiam? :c
Comentem aqui? Amo vocês biguinhas, beijos e até mais!


tio billie meu baby ♥

25 de out de 2013

07. Platonic Love – Say that you miss me (ultimo)



Por Demetria.

-Cahan – escutei a voz rouca de minha mãe pigarrear enquanto eu tentava subir as escadas silenciosamente. Tô fodida.
- Você deve estar se perguntando por que eu não fui para a escola, bem, eu e a Ange dormimos demais e acabamos perdendo a hora, foi isso o que aconteceu! – falei rápido e ela arqueou as sobrancelhas.
 - Poupe suas palavras Demetria – falou de um jeito calmo e eu me sobressaltei. Ela pegou uma folha de jornal que estava posta sobre a mesa. – Pode me explicar o que significa isso?
Olhei atentamente para a folha e minha boca se escancarou. Era uma foto onde estava eu cantando em cima do palco junto com os garotos. Fodeu o resto todo.
- Você não dormiu na casa da Angeline. E ela não tem irmão mais velho nenhum. Você mentiu pra mim, Linda. – suspirou – Esse garoto possui mais de 30 anos...
- Vinte e nove – corrigi.
- Você dormiu com ele? – perguntou ela.
- Sim – afirmei. Eu não podia mais mentir.
- Não quero mais que você se encontre com ele, ouviu bem?! – ela elevou a voz
- Nem adianta mãe... – falei enternecida. As lágrimas teimavam em escapar, mas eu precisava dizer isso – Eu amo o Joseph e eu transei com ele noite passada.
- Você o que?! – exclamou.
- É isso mesmo que você ouviu mãe! E nem adianta dizer que é muito cedo pra eu fazer isso, por que não é! Eu não agüento mais viver assim; presa, solitária! – as lágrimas agora saiam convulsivamente e eu comecei a soluçar.
- Não há como fazer proveito desse amor, Demi! – disse ela – Depois ele vai acabar te esquecendo. Você é só uma garotinha, meu amor... – ela se aproximou de mim e eu estranhei. Ela não falava assim comigo desde os meus 12 anos. – Por que não procura alguém da sua idade?
- Você acha que eu não tento? – solucei – Mas é que... Eu amo muito ele.
- Você só precisa esquecer, filha. Isso não vai te levar a nada.
Suspirei fundo; tudo o que eu queria fazer era chorar. Minha mãe estava certa, isso não vai me levar a nada. Corri para o meu quarto; eu queria esquecer tudo. Por que ele nunca vai ser meu nem de ninguém. Num impulso, arranquei um pôster dele e rasguei. Não sei por que fiz isso, mas me arrependi em seguida. Comecei a chorar desesperadamente. Porra, por que eu havia me apaixonado por ele?! Senti raiva de mim mesma, meus sentimentos estavam todos misturados e o pior é que eu não conseguia parar de chorar!
Enxuguei as lágrimas e me encarei no espelho. Demetria, você não pode mais alimentar esse amor.

Por Joseph.

- Joe, já fez as malas? A gente vai sair amanhã cedo... – Nicholas invadiu o meu quarto.
- Tô indo ver a Demi – falei decidido.
- Mas e a mãe dela? Não vai se meter em confusão de novo, Joseph. – ele me olhou de soslaio.
- Tudo bem, eu volto já. Só preciso ver ela – sorri de canto; um sorriso triste. Ele me deixou passar.
Dirigi veloz, sem medo. Parei em frente à casa dela e bati na porta. Quem atendeu foi a mãe dela. Encarei-a nervoso.
- A Demi está?
- Sim. – ela disse com a voz baixa, porém não parou de me encarar. – O que quer com ela?
- Só vim conversar... – falei sincero. Ela me olhou desconfiada.
- Ela está lá em cima. – deu-me espaço e eu entrei na casa. Subi as escadas sem olhar pra trás e entrei no quarto de Demi. Ela chorava baixinho, encolhida. Sentei-me ao seu lado. Ela não comentou nada.
- Sua mãe brigou com você? – perguntei.
- Não, eu que briguei com ela – falou.
- Brigou por causa de mim?
- Não... Nem foi tanto por sua causa – ela se sentou – Foi mais por mim. Eu não agüentava mais viver desse jeito – choramingou e depois olhou pra mim - Vocês vão embora amanhã, né? – uma lágrima escorreu pelo seu rosto.
Em vez de responder, a abracei forte; o mais forte que pude. Ela chorava agarrada a mim e acabou por molhar toda a minha camisa.
- Eu quero ir com você... – soluçou. Eu a trouxe para o meu colo. Beijei sua boca devagar. Foi um beijo molhado, já que ela estava chorando. Demi segurou forte o meu pescoço e eu agarrei a cintura dela. Ela sabia que não podia ir comigo.
- Eu te amo, Joe... – ela acariciou meu rosto.
Dei um último selinho nela.
- Quando eu ficar famoso volto pra te buscar – afirmei e ela sorriu – Eu nunca vou te esquecer, Demi.
Ela sabia que um dia eu a veria novamente, até por que ela era nossa fã numero um!


Juntos, criamos uma memória que nunca descolorirá. Por que até onde sei, nosso amor pra sempre será apenas um simples caso de amor platônico.


The end! ):
Eu gostei desse final, achei fofo. Sei lá, acho que já tava previsto que eles não ficariam juntos, afinal o Joe é muuuito mais velho que a Demi. Eu não tinha mais nada pra escrever, então resolvi fazer esse como o último logo pra acabar com a minha agonia. É serio gente, eu tô muito agoniada com as minhas fanfics, sei lá, eu penso que vocês não estão gostando do que eu ando escrevendo. Deixa pra lá, acho que é noia minha. Enfim, gente, comentem aí por favor! E leitoras fantasmas, apareeeeeeçam! ashuahs Beijos2' gatonas.

21 de out de 2013

06. Platonic Love – Adventure




Por Demetria.
Já era tarde quando acordei. Eu me sentia tão bem e tão leve que podia ser capaz de flutuar. Olhei para o lado e ele estava lá... Lindo; perfeito. Sua respiração fazia um barulho suave. Seu braço direito me envolvia e o outro ele mantinha sob a cabeça. O observei enquanto ele abria os olhos lentamente.
- Bom dia... – suspirou Joseph com um sorriso.
- Bom dia – respondi sorrindo da mesma forma.
- Hoje é segunda? – continuou.
- Sim... – disse eu, sem parar de encará-lo. De repente senti um choque em meu corpo e isso me fez olhar diretamente para o despertador, que marcava 08h30min da manhã. Levantei de um modo brusco. - HOJE TEM AULA. – gritei e ele me olhou assustado. – A minha mãe vai me matar!
- Peraí, você ainda tá no ensino médio? – perguntou confuso.
- É que... Bem, eu... – gaguejei vestindo a calça – Repeti alguns anos.
- Ah, saquei – ele sorriu e mandou beijos pra mim – Me liga!
- Claro né! – saí correndo e entrei direto no elevador, sem me importar com o meu cabelo ou meus sapatos. Já não adiantava mais, eu não poderia ir pra escola sem meu material. O jeito é dizer pra minha mãe que a Angeline acordou tarde e eu também. Problema resolvido.

Por Joseph.
Saí do banheiro e coloquei meus chinelos indo até o interfone do hotel. Fiz um pedido de café da manhã. Eu e os meninos iríamos voltar pra New Jersey no dia seguinte. Mas eu não consegui aparar de pensar em Demi.
O café da manhã chegou minutos depois, acordando todo mundo com aquele maravilhoso cheiro de panqueca. Junto veio o jornal; que Nicholas arrancou de minhas mãos. Esse nerd.
- Nós estamos no jornal – ele afirmou sorrindo estranhamente.
- O que? – Zac e Kevin perguntaram num uníssono.
- É sério, estamos na terceira página! – gritou ele.
Ashton arrancou o jornal das mãos de Nicholas e leu o anúncio em voz alta;

The Miserables – a banda estadunidense de punk rock pouca conhecida na América – detonou no encerramento do show da outra banda punk Fantasy. A platéia aplaudiu de pé o vocalista Joseph, o batista Ashton, o baterista Nicholas, os dois guitarristas Kevin e Zac e uma fã que subiu ao palco e cantou loucamente junto com eles. A fã maluca chama-se Demi Lovato. A menina de 16 anos ainda foi vista entrando no carro dos cinco garotos após o show.

- Cara, nós detonamos! – Zac sorriu, contagiando a todos, exceto eu.
- 16 anos?! – indaguei duvidoso. Ela havia mentido pra mim, era isso?
- Mas ela disse que tinha dezoito... – Ashton falou – Garota esperta.
- Ela mentiu! – gritei.
- Por que você tá tão exaltado? – perguntou Zac se servindo.
- Você fez... Aquilo com ela, Joe Timberlake? – Nicholas sorriu malicioso.
- Você comeu ela? – Kevin me olhou.
- CALA A BOCA KEVIN, EU NÃO COMI ELA – exclamei acalmando a voz em seguida – Eu tirei... A virgindade dela.
- Mas comeu – falou Ashton, pondo a mão no queixo.
- Não interessa, mas isso vai fazer mal à banda, à nossa reputação – falou Nick, o pensador – Vão te tachar de pedófilo...
- Cara, você acha que eu não sei disso?! – perguntei jogando o jornal sobre a mesa – Mas eu não consigo parar de pensar nela... Não consigo esquecer, só isso.
- A gente vai embora amanhã, Joe – Kevin pôs a mão em meu ombro – Você precisa esquecer.




olá pessoal, lakshndamcn desculpem a minha demora pra postar, mas a doidinha aqui passou o capítulo todo pro word, mas na hora de salvar apertou o botão errado e lá se foi tudo lkasdx sou burra. Fiquei com preguiça de passar tuuudo de novo e só criei coragem hoje. Quanto a isso me desculpem. Essa fic só vai ter em torno de 9, 10 capítulos... Comentem por favor, amo vocês. Ah, e entrei nesse blog aqui, Juntos por toda a eternidade

 É isso, falow pessoal o/ ♥

17 de out de 2013

Our love was tragical...




Eu nem sei o que está acontecendo, mas acho que hoje foi o dia em que mais chorei na minha vida. Hoje eu assisti Camp rock, Ouvi On the line, Wouldn't change a thing, This is me, Send it on, You're my favorite song e até Bounce. De repente cara, me bateu uma saudade enorme de Jemi! Eu não me sinto assim há dias, as vezes eu mesma me chamo de iludida e idiota, por acreditar num amor quase impossível... Mas eu não consigo parar de sonhar! Sonhar que um dia eles vão voltar, que um dia o fandom jonatic e lovatic vai gritar pelo relacionamento mais lindo que já exisitu... Eu não consigo parar de shippar esses dois juntos! Mesmo sabendo que o Joe namora a Blanda e a Demi o Wilmer, eu não paro de acreditar em Jemi um instante! E eu acho que é esse o propósito, é por isso que estamos aqui. Nós nunca desistimos de Jemi, nunca mesmo. Sempre acreditando, sempre.


My heart beats for jemi forever

16 de out de 2013

05. Platonic Love – I promise it will be perfect!



Por Joseph.
- Como eu estou? – perguntei ao Kevin encolhendo os braços.
- Parecendo uma mulherzinha – falou ele seriamente – Já é a quinta vez que você troca de roupa, coloca uma lingerie e vai! – disse isso e saiu.
- Puta cara chato – resmunguei ajeitando as mangas da jaqueta. Esperei mais uns minutinhos. Eram sete e quarenta e cinco quando saí do hotel.  Dirigi devagar pra perder tempo e acabei chegando a casa dela em cima da hora. Buzinei uma, duas, três vezes. E ela veio correndo até o meu carro abrindo a porta rapidamente. E estava tão linda...
- Sua mãe tá em casa? – perguntei ajudando ela com o cinto de segurança.
- Sim, ela resolveu não sair mais. Ela acha que eu vou dormir na casa de uma amiga. – ela suspirou.
-Você tá linda. – eu disse sinceramente e ela sorriu grandão. Olhei pra estrada - Sua mãe não é nada liberal, né? – arqueei as sobrancelhas e comecei a dirigir – Já passou pela sua cabeça que você já pode até morar sozinha com dezoito anos? – indaguei prestando atenção na estrada. Ela demorou a responder e eu resolvi apressá-la. – Hein?
- Eu não prestei atenção em nada do que você disse depois que você me elogiou. – ela disse.
- Você é muito fanática, cara – gargalhei.
- Sou mesmo – deu de ombros e começou a rir junto comigo.
Assim que chegamos ao cinema, percebi que só havia entradas para depois das nove. O filme era novo e todos queriam assistir. Eu e Demi fomos até uma pizzaria perto do cinema pra esperarmos a próxima sessão.  Papo vai, papo vem, perdemos a sessão. Conversamos demais, falamos até de amar, e ela disse que me amava muito. Eu fiquei meio surpreso, mas ela é fã e isso já estava presumido. Papo vai, papo vem... Eu a beijei.
Foi um beijo calmo no início, mas em seguida eu comecei a ficar com muito tesão, aquela menina era uma tentação, tinha peito, coxas e uma baita de uma bunda. Ela parava o beijo pra respirar direito e aquilo me deixava louco!
- Quer dar o fora daqui? – perguntei ainda sem soltar a cintura dela. Ela demorou a assentir, mas concordou e fomos direto para o carro. Eu não tinha nenhum lugar em mente, só o hotel. Foda-se, eu preciso fazer isso.

 Por Narradora.
Joseph praticamente arrombou a porta do cômodo. Não havia ninguém nos quartos pela breve visão que eles tiveram do compartimento. Joe deitou por cima de Demi e a beijou com cuidado, acariciando suas costas. Ela agarrou forte a cintura dele e o beijou com a mesma intensidade. Ele carinhosamente passou a mão por baixo da blusa dela, tentando despi-la. Demi parou o beijo respirando alto.
 - O que foi? – perguntou ele confuso.
- É que... Eu sou virgem, Joe. – ela mordeu o lábio.
- Virgem? – ele fez uma careta leve e depois saiu de cima dela num pulo. Ajeitou a blusa dela – Desculpa. – ele foi até a pequena geladeira no canto do quarto, meio sem jeito. – Quer beber alguma coisa?
- Pareço menos atraente pra você só por que sou virgem? – Demi foi direta.
- O que? Não! – ele respondeu imediatamente – Muito pelo contrário... Eu quero muito. Mas é que... É uma coisa especial, sabe? Eu não quero te forçar. Quero que você tenha certeza.
- Você – ela pausou, envolvendo seu pescoço – É a maior certeza da minha vida.
Joseph sorriu envergonhado.
- Te prometo que vai ser perfeito – sussurrou ele, abraçando-a pela cintura.
Demi beijou a boca de Joseph exaltadamente. Ela nunca havia se sentido assim, tão... Quente. Ele levantou a blusa dela e jogou a mesma em cima da cama. Demi praticamente arrancou a camiseta do rapaz, parando um pouco para contemplar o peitoral que ela mais desejou em toda a sua vida. O perfume de Demi irradiava ainda mais o desejo de Joe. Ele tirou a saia dela e continuou acariciando suas costas, beijando seu pescoço. Demetria retirou o sutiã por conta própria.
- Você tem cheiro de limão – ele suspirou arrancando um sorriso tímido dela, que deitou por cima de Joe e retirou sua bermuda, deixando-o apenas de boxer. Ela sentiu um leve receio ao notar o volume mais que razoável que Joe possuía embaixo da cueca. Ele percebeu rapidamente a cara de aflição que ela fazia e sorriu timidamente, avançando em seus seios. Joseph chupou os mamilos de Demi com muito vigor, fazendo a garota vibrar de desejo (?)
Ela despiu a calcinha. Ficou um pouco tímida no começo, mas ele a fez se sentir a vontade. Ele tirou um preservativo do bolso, colocando-o corretamente e deitando por cima dela em seguida.
- Se quiser que eu pare é só pedir – ele sussurrou e ela fez que sim com a cabeça – Agora abraça minha cintura com força.
Ela obedeceu sem falar nada, estava nervosa. Joseph penetrou Demi com muito cuidado para não machucá-la. A menina gemeu de dor.
- Quer que eu pare? – ele perguntou preocupado e ela negou. Ele continuou penetrando-a lentamente, fazendo movimentos de vai e vem. Ela sentiu algo molhar suas pernas. Seu hímem havia se rompido; a dor fora substituída por um prazer extraordinário. Joe era experiente e atencioso. Era um príncipe, nada podia ficar mais perfeito! Ele fazia Demetria se sentir especial.
A respiração irregular de ambos ia ficando mais constante. Joe aumentara a velocidade das estocadas. Cansado dessa mesma posição, ele deitou-se de bruços ainda sem tirar o pênis de dentro dela.  Demi sentou-se sobre ele e foi fazendo movimentos circulares; rebolando muito sem perder a leveza. Aquilo fez Joseph gemer alto.
Eles ficaram nessa posição por mais alguns minutos até que Demi chegou ao seu limite. Joe gozou logo em seguida. Ele a puxou para o seu lado e ela pousou a cabeça no vão de seu pescoço com um sorriso nos lábios.

- Eu te amo... – ela sussurrou acariciando o tórax de Joe – Foi perfeito. 

  

Eu vou apanhar hoje ):
Mentira, eu acho q não vou apanhar, minha avó já foi pra casa dela, e eu acho q ela não disse nada pro meu pai. Assim espero. Taí o hot, já tinha passado pro word, mas no caderno ainda havia provas ): to xorosa, tenho q economizar pro neon lights tour, mesmo sabendo que nunca vou estar lá alçjzlkxch espero que gostem do capítulo que saiu depressinha, bjs ♥

#INFARTEI

A MINHA VÓ LEU O CAPÍTULO HOT QUE EU ESCREVI E AGORA TÁ TODO TEMPO DE ZOIÃO PRA CIMA DE MIM!!11
ME AJUDA SEM OR, TOMARA QUE ELA NÃO CONTE PRO MEU PAI.

15 de out de 2013

04. Platonic Love – The hangover




Por Demetria.
Minha cabeça palpitava violentamente e meu corpo doía. Acordei muito tarde; estava com uma ressaca terrível. Eu não me lembrava de muita coisa, mas com certeza a noite passada fora perfeita, sem mais. Levantei-me da cama e fui me olhar no espelho. Eu estava um trapo; meus olhos estavam escuros e baixos. Comecei a rir do nada.
- Olha lá você, safada. Está doidona – falei pra mim mesma e comecei a rir novamente.
Caminhei até o banheiro e fiz minha higiene matinal. Hoje é sábado; minha mãe está em casa. Kate já deveria estar em Houston, ela estava fazendo estágio. Desci as escadas rapidamente e encontrei minha mãe na sala assistindo televisão.
- Bom dia mãe – passei por ela e fui até a cozinha.
- Boa tarde, você quer dizer – ela resmungou. Ela estava com uma cara normal e eu estranhei. Mas e a bronca? Será que ela não havia notado o quão tarde eu cheguei em casa? Estranho. – Quando foi que o irmão da Angelina chegou de Miami? – indagou.
- O quê? – perguntei confusa. Angeline não tem nenhum irmão, não que eu saiba.
- Ué, o irmão dela que veio te deixar aqui em casa, você não lembra? – ela falou e eu apenas assenti, sem saber o que dizer – Você tava meio grogue... Ele falou que você ficou em estado de êxtase depois do show. Aliás, ainda bem que ele te trouxe pra casa! Eu não sabia que esse negócio iria durar tanto.
Sorri largamente ao me lembrar do que tinha acontecido. Joseph havia mentido para a minha mãe. Engraçado; ela já viu fotos dele tantas vezes e nem o reconheceu!
- É, ele é um cara super legal – falei baixo ainda sorrindo. Subi correndo para o meu quarto e acabei notando um papel meio amassado em cima da mesa.

No seu quarto tem mais foto minha do que na casa da minha avó!

Sorri ao terminar de ler. Meu Deus, como eu estava apaixonada! Olhei o verso do papel.

88-404-7327
Por Joseph.
- E aí, o que rolou ontem entre você e a Demi? – perguntou Nick sentando-se ao meu lado. Esse idiota me ama, nunca me deixa em paz!
- Nada ué – respondi calmo.
- Eu vi que você tava de olho nela, tá doidinho pra catar, né? – ele zombou e eu não deixei de sorrir. Ele meio que tinha razão sobre isso.
- Tá bom, eu gostei da garota... – falei – Você mesmo não vive dizendo que eu preciso arranjar um namoro fixo? Mas... Sei lá, ela é muito novinha. E tam... – principiei, mas fui interrompido pelo meu celular. Olhei no visor; um número desconhecido. Fiz um sinal para Nick e atendi o telefone.

.On.
Joe: Alô?
xx: Ai meu Deus, é você mesmo?!
Joe: Sim, sou eu mesmo. Quem tá falando?
xx: É a Demi... Eu só liguei pra... Na verdade nem sei por que liguei.
Joe: Pra ouvir minha voz?
Demi: Quase isso.
Joe: Hum.
Demi: Dois.
Joe: Tá a fim de sair?
Demi: Sério?
Joe: Claro ué.
Demi: Isso envolve os meninos?
Joe: Não, vamos deixá-los fora dessa.
Demi: Então eu topo!
Joe: Ok! Hey... Sua mãe nem me recebeu com uma vassourada na cara ontem...
Demi: - ri – Pois é, e obrigada mesmo pelo o que você fez, salvou minha pele.
Joe: De nada. A gente pode ir ao cinema, o que você acha?
Demi: Acho ótimo. Minha mãe vai buscar minha irmã no aeroporto e elas vão passar a noite na casa da minha tia, o que significa que não vai ter ninguém em casa quando eu chegar.
Joe: Que legal... Pois é, preciso desligar. Te pego às 8, ok?
Demi: Ok, tchau.
.Off.

- É, a chamei pra sair... – suspirei olhando para Nick.
- Haha, mandou bem. Joe Timberlake – ele desandou a gargalhar e eu revirei os olhos – Aí, se quiser trazer ela pra cá tudo bem. Só por que somos amigos eu não vou assistir.
- Nojento, eu não vou fazer nada com ela! – falei. Nossa, não dá pra falar isso sem parecer irônico. – A gente só vai ver um filme e depois eu vou levá-la pra casa.
Nick assentiu e começou a gargalhar novamente. Joguei uma almofada em sua cabeça e comecei a prestar atenção na televisão.

Por Demetria.
Depois de tanto pular, dançar, cantar três músicas do TM e me jogar na cama mil vezes acabei me tocando que eu não tinha em mente o que eu iria vestir! Mas até aí tudo bem por que eu teria um encontro com Joseph Gray Gieswen, e isso é o máximo!

Li em uma entrevista que o Joseph não gosta muito de garotas extravagantes. Ele gosta das básicas, que se vestem sem preocupação e com um leve toque de masculinidade. Sem pensar muito peguei minha camiseta da banda ACDC junto com um jeans skinny preto. Pronto, montei o meu look. Eu estava muito ansiosa, não podia negar. Pelo amor de Deus, ele era Joseph Awesome! Será mesmo que ele estava interessado por mim? Soltei mais um grito histérico e comecei a imaginar como seria a melhor noite da minha vida.




Enganei vocês heuheuha
Mentira, é que o capítulo ficou muito grande então eu pensei em fazer o hot no próximo, desculpem eu zmxljkx E me perdoem por eu ter demorado essa eternidade pra postar, é que tô com pouca ideia pra fanfic ): Sem um pingo de inspiração e eu acho que vocês sabem como isso é triste! Passei o fim de semana inteiro assistindo Smallville, gente eu nunca tinha assistido, é muito bom cara çzxjcas amei, aff. Vou começar a passar o hot agora pro word e vou postar o mais rápido possível. E gente... 92 seguidores? Tô tão feliz, muito obrigada por tudo, amo vocês ♥ Beijos e comentem!

5 de out de 2013

03. Platonic Love – I don’t care because I’m drunk!




Por Demetria.
Eles me levaram pra um carro que estava no estacionamento em frente à casa de show. Eu estava com medo, não por que um bando de machos adultos iriam me levar pra beber em um lugar desconhecido, e sim por que eu sabia que essa seria a primeira e última vez. Meu Deus, eles eram os The Miserables e não eram nada soberbos ou idiotas. Eles eram lindos, legais e excepcionalmente admiráveis! Acabamos parando em uma lagoa no sul da cidade. Eu já tinha andado por aquele lugar, mas já era de madrugada e não tinha nenhum vivente por perto.
Ashton estacionou o carro nas margens da pequena lagoa. Estava muito frio e eu vestia apenas uma camisa de malha na qual havia uma estrela enorme e o nome The Miserables estampado numa cor forte. Abriram o porta-malas. Uma caixa de Red Bull e outra de vodka. Eu nunca havia ficado de pileque em toda a minha vida, então essa era uma chance. Minha mãe vai arrancar meu couro!
- Então Demi – Joe sentou-se no chão com uma garrafa de vodka em mãos – Já brincou o jogo dos milhões?
- Na verdade eu nunca tomei nem um porre! – admiti tremendo.
- Sério? – Nicholas riu – Tá a fim de fazer isso hoje?
- Com vocês claro! – sorri.
Zac sentou-se no chão de areia e colocou uma faca no chão. Iria ser a roleta ou algo do tipo. Eu não entendia nadinha desses jogos de roda! Só joguei uma vez verdade ou conseqüência quando tinha onze anos, mas não fiz nada que me comprometesse. Eles pegaram alguns copos e algumas garrafas de vodca. Eu não entendi nada; eles sentavam e enchiam a cara? Ou iam se aquecer primeiro?
- Funciona assim: Você precisa falar a palavra “milhões” o máximo de vezes que conseguir. Tipo assim: Um milhão, dois milhões, três milhões... Entendeu? – Kevin explicou e eu assenti – Só que se você confundir a palavra “milhão” com “limão” você tem que beber!
- E qual é o limite? – perguntei.
- É até quinze vezes por que eu sou fera nesse jogo e posso contar até 100 sem errar – piscou o olhou e eu me derreti.
- Eu começo! – Zac disse e principiou – Um milhão, dois milhões, três milhões, quatro limõessss... DROGA! – todos nós rimos enquanto ele virava o copo. Era a vez de Joe.
- Um limão... Mas já? – riu e bebeu um pouco de vodca, passando a vez para Kevin. O jogo era meio estranho, mas ver aqueles idiotas rindo era a melhor coisa do mundo.
- Um milhão, dois milhões... – Kevin começou, mas eu não prestei muita atenção. Passaram-se alguns segundos até que eu voltasse de minha fantasia.
- Vai à merda com esses milhões! – Joe reclamou quando Kevin passou a rodada sem beber.
Passaram-se algumas horas e eu não tinha mais total consciência do que estava fazendo. Já se passaram dez rodadas... Ou eram onze? Eu sentia uma moleza dominar o meu corpo e agora já podia extravasar por que eu tinha certeza absoluta de que eu estava bêbada!

Por Joseph.
Eu ainda não estava totalmente embriagado, só um pouco zonzo. A minha mente estava lá no alto; era hora de ir embora e os garotos estavam enrolando. Já eram três e meia da madrugada. Ao decorrer da noite eu acabei descobrindo que essa menina é totalmente maluca! Ela tatuou meu nome embaixo da axila pra mãe dela não ver, o que é estranho e fofo ao mesmo tempo. Ela falava coisas completamente sem nexo, mas ela era legal, simpática e... Muito gostosa.
- Tá na hora, vamos pra casa pessoal. – falei me levantando depressa. Demi levantou unto comigo e cambaleou pra trás, mas eu segurei sua cintura antes que ela caísse no chão.
- Você é tão bonito... – ela falou passando a mão pelo meu nariz e gargalhou.
- Eu seguro ela pra você Joe – Kevin disse agarrando a menina pelo pescoço. Eu a soltei de uma vez e os dois caíram no chão, totalmente chumbados.
- Calma Kevin, você é bonito também... – ela riu ainda deitada em cima dele. Eu não tava agüentando mais tanta palhaçada.
- Você vai pro hotel com a gente? – Nick perguntou enrolando as mangas do casaco.
- Não – ela tremeu de frio e abraçou a si própria – Eu tenho que ir pra casa, minha mãe vai me matar... – cambaleou.
- A gente te leva – Disse Ashton.
- É melhor não, vocês vão levar vassourada da minha mãe – ela gargalhou – Vassourada. De onde veio essa palavra?
- A gente te leva pra casa, já tá tarde. – afirmei entrando no carro. Era um carro aberto, a noite estava fria. Demi sentou atrás de mim; ela estava batendo o queixo e tendo calafrios. Num impulso eu tirei meu casaco e dei pra ela. – Pode ficar – sorri.
- Sério? – ela riu e deu um gritinho histérico – Minhas amigas não vão acreditar!
Eu ri com a reação dela, tem que ter fãs malucas. Os meninos entraram no carro e eu dei a partida.


Olá meninas, ♥
Esse capítulo ficou um oi do cu, mas merece comentários? Quem sabe são vocês. Então, vou logo "spoillando" que o próximo capítulo vai ser hot, Yeah! e vai ser um dos maiores que eu já fiz. Deu 3 páginas inteiras do meu caderno, então eu acho que estou bem ashuahsuahs o hot já tá pronto mas o capítulo não ç_ç' Mas vou tratar disso já, já. Eu estou postando essa mini fic pra adiantar alguns capítulos do Stay. Troquei o nome do blog, gostaram? Eu gostei (: Gente eu tô com fogo, só nessa semana já fiz três oneshotes HOTS, o que há comigo? alçskhdx deve ser só uma fase. Pois é, agora tenho que ir u-u Comentem por favor? Beijos -v-