30 de set de 2013

02. Platonic Love – Dream Realized




Por Ashton.
Do camarim dava pra escutar os milhares de gritos. Nós iríamos fechar a noite, tocando apenas quatro músicas que foram muito bem escolhidas. A banda Fantasy já estava tocando a penúltima música; nós seríamos os próximos. Eu podia ver o nervosismo estampado no rosto dos garotos. Por fora eu estava quieto, mas por dentro... Sentia-me eufórico.
Joseph fazia alguns aquecimentos com a voz enquanto Zac afinava a guitarra. Nick não parava de roer as unhas e Kevin ficava toda hora alisando o cabelo. Ele tinha essa mania horrível que  me deixava aflito.
- E se eu errar um acorde? – Zac olhou pra nós com uma cara assustada.
- Tu num vai errar nada, cala a boca e não me deixa mais nervoso do que eu já tô! – Kevin falou esfregando os malditos cabelos novamente. Ouvi alguém bater na porta e me virei rapidamente, fazendo todos repetirem o meu ato.
- É agora rapazes! – uma mulher loira disse sorrindo – Estão prontos?
NÃO!
- Sim – sorri nervoso.
- O equipamento já está no palco. Agora vão lá e arrasem! – falou ela saindo em seguida.
Olhei atentamente para todos. Tínhamos que fazer isso, afinal é o show mais importante da nossa carreira!
- Hora do show – Joseph finalmente se levantou unindo nossas mãos. Nós levantamos todas pro alto, fazendo uma espécie de sincronia.

Por Zac.
Assim que entrei no palco senti a adrenalina me invadir completamente. Tinha muitas pessoas na platéia e mais algumas no camarote VIP. Sem mais delongas Kevin começou com o rifle na guitarra e segundos depois Nick começou a tocar bateria. Eu acompanhei Nick junto com a batida da música. As pessoas gritaram. Me senti orgulhoso.
- Living on a lighted stage approaches the unreal, for those who think and feel! In touch with some reality beyond the gilded cage Joe cantou com a voz grossa.
Gostei do resultado, e pelo visto a galera também. Nós estávamos arrasando! Olhei pro lado e percebi que os seguranças estavam deixando algumas pessoas subirem ao palco. A maioria foi direto pro camarim atrás da outra banda. Mas eu percebi que uma garota correu em nossa direção alucinadamente! Ela me abraçou primeiro por que eu estava mais afastado dos outros. Ouvi ela gritar “eu te amo!” no meu ouvido e fiquei sem ação, apenas continuei tocando com um sorriso. Depois ela correu e abraçou todos os outros, menos Nick porque ele estava sentado no fundo.
-... Get on with the fascination, the real relation, the underlying theme… - ela gritou ao microfone, fazendo Joe soltar uma risada. Ele a segurou pela cintura e começou a saltar, como se já estivesse acostumadíssimo. - Living in the limelight, the universal dream, for those who wish to see – ela finalizou a música com a voz falha de tanto pular. Todos aplaudiram e pareceram gostar bastante.
A garota continuou no palco até o final do show, ela parecia uma doida e sabia de cor todas as músicas que nós tocamos. Assim que o show acabou, a platéia aplaudiu de pé! Nós fomos pro camarim e Ashton trouxe junto dele a tal garota. Ela parecia que não ia parar de chorar. Ele deu a ela um copo d’água, a coitada não conseguia nem respirar direito. Pelo menos era bom, saber que tínhamos uma fã maluca.
- Eu ainda não tô acreditando – ela falou soluçando.
- Nem eu – disse Joe sorrindo. – A gente detonou! – ele sentou-se ao lado da garota e ela tremeu. Eu também não conseguia parar de sorrir. Tudo bem que foi um show curto, mas abriu muitas oportunidades, disso eu tenho certeza.
- Menina, você é maluca! – Ashton sorriu largamente olhando para a garota – Qual teu nome?
- Demi – gaguejou ainda com lágrimas nos olhos.

Por Demetria.
Meu coração parecia que ia saltar pela boca. Eu tinha quase certeza de que estava sonhando. Eu não tinha plena consciência do que estava fazendo, eu estou num estado de transe. Ao meu redor eu só escutava as vozes deles, parecia que eu estava prestes a acordar. EU NÃO QUERO ACORDAR. Sacudi minha cabeça freneticamente e olhei novamente para a enorme sala. Não era um sonho. Algumas lágrimas escaparam de meus olhos, no entanto eu não queria mais chorar pra não parecer uma fã retardada. Bebi mais um gole de água e reparei que os meninos estavam muito animados, devia ter sido o primeiro show de verdade que eles haviam feito e eu me sentia orgulhosa. Zac estava todo suado. Observei ele tirar sua camisa na minha frente! Puta que pariu! Eu não conseguia parar de olhar. Um garoto passava pelo corredor parou em frente à porta. Ele estava animado e vestia uma camisa da Fantasy.
- Caras, a música de vocês é muito melhor de que muitas outras bandas renomadas! – falou ele adentrando a sala – Já virei fã! Posso tirar uma foto com vocês?
- Claro! – os meninos responderam num uníssono e eu voltei ao meu transe. Eles eram tão perfeitos! Assim que o garoto saiu, Joe voltou a tagarelar.
- Isso merece uma comemoração! – disse ele – Vamos sair pra beber.
- TÔ DENTRO! – Zac foi o primeiro a se levantar, o que me fez rir. Nick hesitou um pouco, mas aceitou. O que me fez perceber que meu tempo com eles estava acabado. O máximo que eu teria dessa noite eram algumas fotos e lembranças. Eu teria que ir pra casa.
- Nós vamos virar a noite, tá dentro? – Zac olhou pra mim ainda sorrindo.
- Quem, eu? – apontei para meu próprio peito, um pouco confusa.
- É você mesmo! –Kevin deu um sorriso lindo. MEU DEUS EU VOU MORRER.
- Vocês... – gaguejei – Que-querem mesmo que eu saia com vocês?
- Isso é um convite. Quantos anos você tem? – Joe perguntou.
Minha mente vagava, mas eu não queria chorar. Esses garotos são as pessoas que eu mais amo no mundo, e eu não conseguia parar de pensar nisso. Eles falavam comigo e pareciam se importar. Eu havia cantado com eles no palco! Eu devo ser a fã mais maluca que eles já conheceram. Mas eu era menor de idade! Eu vou mentir; eu não posso estragar essa noite.
- Dezoito – menti pondo as mãos nos bolsos. Eu não podia recusar, mesmo arriscando minha bunda e outras partes do meu corpo. A minha mãe vai me matar.
- Tem hora pra chegar em casa? – perguntou Ashton.
- Não – menti novamente.
- Então... – Nick pausou pondo o braço ao redor de meu ombro – Já que você é a fã mais doida que eu já vi, a gente vai te levar pra curtir do jeito adulto.
Me arrepiei quando ele afastou uma mecha de cabelo dos meus olhos. Eu sou a garota mais sortuda do mundo!


Oi, oi, oi gatosas!
E aí, como estão? Eu estou péssima, um horror! Morrendo de gripada, affs. Enfim, esse capítulo ficou bobinho, eu realmente não tenho idéia do q tô escrevendo ultimamente! Tô meio perdidinha e solitária, até comecei a criar gatos! São dois, o Black e o White. Por que um é preto e outro é branco, avá. Então, comentem se gostaram e desculpa a demora! Ah, a música que eles tocaram é essa aqui, da banda Rush (que eu amo). E pra pergunta da Érika, o nome da banda é Tio Che, de punk rock. Ela não é muito conhecida. Eles são de Santo André, do ABC Paulista. Mas eu amo as músicas deles e me identifico muito! Ok, então tchau e não esqueçam de comentar u-u. Beijos migos e migas (sdds sdds)



25 de set de 2013

01. Platonic Love – Big Sister



Por Demetria.
- Não! Eu não tô acreditando! PUTA QUE PARIU, EU TÔ TENDO UM ATAQUE! – gritei pela terceira vez, quase quebrando a tela do meu computador.
- O que está acontecendo?! – minha irmã escancarou a porta do meu quarto com uma cara preocupada.
- KATE! OS THE MISERABLES VÃO TOCAR AQUI EM DALLAS! – gritei explodindo de felicidade. Sim, era a primeira vez que os meus ídolos, meus gostosos, os cinco homens que eu mais amo no mundo estão vindo pra minha cidade. Eu não posso estar mais feliz, nunca fui ao show deles e nunca os vi na minha vida, pela razão de eles morarem em New Jersey e eu em Dallas. Eram mais de 2.000 quilômetros de distância.
- Ah, era isso? – ela perguntou desanimada – Você não se cansa desses rapazes? Eu pensei que fosse apenas uma fase, mas isso já faz mais de oito meses. Eles já são velhos e tem experiência. Você é apenas uma garotinha.
Revirei os olhos em resposta. Eu odiava quando Kate falava essas coisas pra mim. Ou do tipo “eles nem sabem que você existe”. Me dá nos nervos as vezes. Só por que ela é mais velha do que eu me trata como uma criança.
- Kate, eu amo eles. – falei um pouco deprimida. Não posso fugir da verdade. Nenhum deles irá me pertencer um dia. Joseph tem 29 anos, é homem feito, 12 anos mais velho que eu. Minha mãe nunca aprovaria! Mas que mal tem sonhar?

Por Joseph.
(Esse trecho é uma adaptação que eu mesma fiz em cima dessa música)

Is already Friday night
Já é sexta feira à noite
And I am not out
E eu não estou de fora
Taking some beers
Tomando umas cervejas
Today I’ll kiss your mouth
Hoje eu vou beijar sua boca

- Wow, wow, wow! – ouvi Ashton reclamar – Tô perdido aqui... Nicholas, você não tá colaborando...
- Foi mal caras, eu só estou meio nervoso... – ele se desculpou. Hoje era o último dia de ensaio antes de viajarmos para Dallas.
- Esse nem é o seu primeiro show, deixa de manha! – sorri ajeitando o microfone. A culpa não era dele, nós todos estávamos muito ansiosos. Só pelo fato de o show ser em uma arena grande com luzes especiais e equipamento qualificado já me deixava feliz. A TM era mais que uma banda, era uma equipe. Eu gostava muito de trabalhar com eles, mesmo não ganhando muita grana a gente se diverte nos ensaios, nos shows e na gravação dos videoclipes.
- Fala cambada! – Zac adentrou a garagem segurando em mãos sua nova guitarra – O que tá rolando?
- Por onde você andou cara? – perguntou Kevin fazendo um acorde desafinado na guitarra – A gente tá indo pra Dallas amanhã.
- Vocês vão pra Dallas? – perguntou Zac nervoso – Por que ninguém me avisou, eu faço parte da banda...
Na verdade ninguém se importava muito com o Zac. Ele não gostava muito da TM, mas ajudava com o equipamento e por isso pertencia a equipe. O fato é que ele toca muito bem, mas parece que não gosta de demonstrar isso.
- Você sumiu do mapa, do whatsapp e do facebook – Nick deu de ombros – Queria o que?
- Eu não vou falar sobre isso – Zac sorriu malicioso -, mas... – ele sentou-se – Eu posso ir com vocês? Pra ajudar, sabe.
Olhei de esguelha para Kevin e ele fez um sinal pra mostrar que tava tudo tranqüilo.
- Claro – falei rápido e ele sorriu. Peguei o microfone e nós começamos a tocar How good it is to be free outra vez.

Dois dias depois
Por Demetria.
Eles vão chegar hoje à tarde, eu não tô acreditando! Por mais que eu more em Addison, no subúrbio e o show seja no centro em uma boate aberta, minha mãe (milagrosamente) deixou que eu fosse sozinha. Com a minha idade eu poderia ser uma garota independente e tomar minhas próprias decisões, mas como? Dependo da minha mãe pra um monte de coisas, ela paga os meus estudos, minhas aulas de francês e o acampamento de férias. Não dá.
- Demetria você vai... – Kate invadindo meu quarto como sempre – Ah. – cruzou os braços – Vai comprar um ingresso pro show.
- Sim – sorri fechando minha pequena bolsa.
- Não fica animada demais não, Demi. – falou ela – É só um show. Você não tem grana pro Meet, nem vai sequer conhecê-los.
Bufei e saí do quarto apressadamente, sem por os olhos nela. Eu detesto minha irmã.
Saí de casa com o pensamento lá no alto. Parecia um sonho; eu finalmente vou poder ver eles de perto. Eu tinha plena consciência de que o lugar estaria lotado, já que a maioria das pessoas estariam lá pra ver a banda destaque da noite. O nome dela era Fantasy. Eu não conhecia muito bem, mas sabia que o guitarrista era um gato.
Eu só conseguia pensar em Joe, Nick, Kevin, Ash e Zac. Era a única coisa que vinha na minha mente, eu não podia estar mais apaixonada! Por mais que doesse, eu saberia que uma hora eu teria que dizer adeus. Que esse show iria acabar e que tudo iria voltar ao normal, mas eu ainda tinha esperanças! Droga, como eu sou burra! Por que eu tive que me apaixonar por eles? E como é possível gostar de mais de uma pessoa ao mesmo tempo? Minha irmã está certa, eu preciso amadurecer. Mas não hoje.


 

Hey people o/
huehueheu o q vocês acharam? Eu achei que ficou muito bestinha e clichê, mas a fic no geral é clichê! Bem, na verdade nem é tanto assim, masok. Hey, gostaram do trecho que eu fiz? Vai ter muito mais u-u Eu amo essa música! Os capítulos vão ficar muito mais grandinhos! \o/ É pq a fic vai ter essas coisas de adolescente, sabe. Tipo bebedeira, sexo impróprio e muito palavreado baixo. Mas eu gosto assim, vocês gostam? ashaush Comentem por favoor c:

Respostas dos comentários :3

Divulgando: 

23 de set de 2013

Platonic Love – Personagens e sinopse



Demetria Linda Lovato
Garota determinada, muito engraçada, extrovertida e infantil. Costuma ser irritante às vezes, mas isso já é costume para alguns. Rockeira convicta e fanática pelos The Miserables. Mora com a mãe e com a irmã e não é nada independente. 17 anos.


Joseph Gray Gieswen
Vocalista da banda TM. Um rapaz alegre e decente, mas infelizmente mal visto pela sociedade, principalmente pelo seu jeito de doidão. Simplesmente detesta o seu sobrenome por que é difícil de pronunciar. Ele gosta de sair, fazer shows, conhecer pessoas novas e principalmente, gosta de garotas. Um homem sensual e brincalhão. 29 anos.


Kevin Eric Cartney
Onde tem confusão ele tá no meio. Um cara sincero, doido e muito idiota. É o guitarrista da banda. Sempre bebendo, é um daqueles caras que amam fazer piadinhas e contar vantagem. Um cara irresponsável e um tiquinho racista. 30 anos.


Nicholas J. Brad
Baterista certinho e desajeitado. Gosta de sair, mas só às vezes. Na verdade ele é um homem responsável. Fã dos Ramones e punk de capanga. Compositor, mandão e meio chato em algumas ocasiões. 25 anos.


Ashton Gayle (Na verdade era pra ser Kyle, mas houve um erro no cartório e o coitado do Ashton acabou ficando com esse sobrenome de viado)
Um cara legal. Ele é o baixista da banda, apaixonado por punk. Um cara como todos os outros. Ele é um homem direto, meio tarado, mas sabe o que faz. Ele é ator também, mas só faz comerciais. Já se arriscou a fazer um ornô (pornô light), mas acabou se ferrando com isso. 27 anos.


Zac Martin
Idiota de primeira. Ele é um garanhão, faz parte da turma mas quase sempre está ausente. Toca guitarra e faz backing vocal, mas é difícil ele aparecer num show. Agora se o convidarem pra beber pode apostar que ele vai correndo! 28 anos.

Sinopse.
Ela sabia tudo sobre eles. Estava no auge de sua adolescência, aos dezessete anos. Demetria possuía uma boa quantidade de pôsteres na parede de seu quarto, frases escritas com tinta impermeável em suas calças jeans e jaquetas rasgadas. The Miserables era uma boyband de punk rock não muito conhecida na cidade onde ela morava. Demi era uma garota exposta. Seus amigos a apelidavam de doida, fanática e até tiete. Mas acham que ela ligava? Não, nem um pouco. Demi amava seus ídolos e possuía uma paixão explícita pelo líder da banda, Joseph Awesome. Sim, o sobrenome artístico dele era awesome, vai saber o porquê. A banda deles não era muito conhecida, mas eles faziam um som legal. Vista por críticos, a The Miserables é uma banda descomunal formada por quatro babacas aproveitadores.




Oi gatas :*
Me julguem, mas não é Stay. É uma minific que eu criei e resolvir postar sem aviso pq sou foda -n.
É serio gente, tô sem um pingo de inspiração pro Stay. E essa fic é meio que baseada na minha vida. Eu já tive muitas paixões platônicas, sério mesmo. Acho que umas 50 ou mais. Ontem eu tive um sonho e aí resolvi postar como minific. Eu tenho sonhos muito idiotas, mas alguns são inspiradores. Digam o que acharam! Na verdade eu senti falta de fics desse tipo... Vai ser uma comédia/hot. Ok, então vou indo agora. Comenteem! Beijemis (sdds de falar isso)

19 de set de 2013

02. Strange people




Uma nuvem cobre o céu, uma sombra envolve o seu olhar.

 ‘Por Joseph Jonas.
Acordei com um barulhinho enjoado tocando perto do meu ouvido. Procurei pelo despertador em cima da mesa e apertei um botão qualquer. Olhei o calendário pendurado na parede. Segunda-feira. Levantei da cama devagar e fui até o banheiro fazer minha higiene matinal. Olhei pela janela e percebi o céu um pouco nublado. Um típico dia de inverno. Caminhei até o quarto de Carly e percebi que ela ainda dormia. Ela ressonava baixinho e mexia os olhos freneticamente. Meu Deus, como ela se parece com Camilla!
Desci as escadas e fui até a cozinha preparar o café da manhã. Hoje terá uma reunião com os sócios na Workaholic. Já estou adiantando os papéis dessa reunião há semanas. Acho que se eu conseguir convencer o cliente, possivelmente serei promovido.
- Sinto cheiro de waffles – ouvi uma voz vir da sala. Inclinei-me sobre o balcão e pude avistar Carly sentando-se na mesa com a mochila nas costas.
- Bom dia amor – cumprimentei e ela apenas deu um sorriso como resposta. – Tá com fome?
- Sim – disse com a voz delicada e eu percebi que ela estava distraída. – Pai, eu tive um sonho muito estranho, sabe...
Ih, começou novamente. Carly sempre teve esses sonhos premonitórios. Eles nunca se realizavam e quase sempre ela passava noites em claro com receio de adormecer. Principalmente depois que Camilla morreu, ela passou a se comportar de um jeito mais diferente.
- Carls, você sabe que isso tudo é só... Besteira – pus o prato de waffles em cima da mesa – Não se assuste não.
- Ok – ela concordou bebendo um pouco do achocolatado – Você vai chegar tarde em casa hoje né? – me olhou triste enquanto eu me sentava.
- Sim – sorri fraco – Não se preocupe, tio Kevin vai cuidar de você.
- Pai, da última vez que o tio Kevin veio aqui em casa ele fez uma festa na piscina – Carly me olhou seriamente e eu comecei a rir.
- O que importa é que ele não te deu bebida – falei – Nem drogas... E eu acho que a Dani vai vir também, então não tem perigo.
- Tá legal – ela sorriu.
- Pois é, agora eu preciso trabalhar... – arrastei a voz e me levantei – E você tem que ir pra escola, mocinha. Pega a mochila e vam’bora. – ela me obedeceu e seguimos até o carro.

‘Por Demetria Lovato.
- Porra Wilmer, não faz isso! – reclamei enquanto ele jogava minhas luvas caríssimas no fogo. Eu havia segurado a arma do assalto em Dallas com essas luvas.
- Crime perfeito não tem provas – ele levantou e segurou meu rosto entre as mãos. – Agora eu e Justin temos um trabalho pra fazer.
Seu hálito quente atingiu meu rosto e eu não estava conseguindo me controlar. Wilmer era muito persuasivo, ele me tem na palma da mão quando quer.
- Vinte barras de ouro, Demetria... – ele sorriu – E aí nós todos vamos embora dessa cidade. Vinte barras equivalem a... – pensou um pouco e se aproximou mais de minha boca – Cem milhões.
- Como você...?
- Shhh... – ele pediu – Deixa que o meu trabalho eu resolvo. Agora fica com a Selena no esconderijo que já, já nós chegamos com o carregamento.
- Ok – concordei ainda hipnotizada. Ele me soltou e foi até a porta – Wilmer! – exclamei e ele se virou rapidamente – Não morra.
- Não vou – sorriu piscando o olho pra mim.
Selena entrou no quarto logo em seguida. Ela usava uma camisa super decotada e carregava uma bolsinha rosa pequena. Olhou-me um pouco desconfiada e sentou-se ao meu lado. Seu olho esquerdo estava completamente roxo e um pouco inchado.
- Vocês brigaram de novo – deduzi e ela assentiu com a cabeça tristemente – Eu não acredito que ele bateu em você.
- Na verdade eu chutei os países baixos dele primeiro – sorriu fraco – Ele se zangou e me deu um soco na cara.
- Covarde – murmurei.
- Eu já me acostumei... – ela disse – Quer dizer, é difícil bancar a durona o tempo todo, mas... – deixou a frase morrer.
- É melhor a gente ir pro esconderijo – falei olhando pro relógio, no qual marcava duas horas da madrugada.
- E se der errado? – perguntou Selena.
- Aí já era. Mas... – estalei os lábios – Eles se dizem profissionais então com certeza vão dar conta.

‘Por Justin Bieber.
 Eu mantinha a pistola protegida atrás do casaco, enquanto Wilmer dirigia. Paramos em frente a um casarão enorme, não muito afastado da cidade. Ele estava pra ser alugado e havia vários publicitários querendo vender aquela casa. O cofre ficava atrás da grande livraria e precisávamos desativar o alarme antes de conseguir entrar.
- O plano é o seguinte: A gente entra na casa pela entrada subterrânea que fica no quintal. Mas pra isso a gente precisa desativar o alarme. E essa casa tá repleta de cachorro, o que vai dificultar um pouco o processo. – ele explicou.
- Isso não vai ser fácil – falei preocupado.
- Não mesmo – disse ele – De qualquer forma, já estamos nessa. Sai do carro, vamos fazer isso de uma vez.

‘Continua.


Eu amo muito esse homem gente, vocês não tem noção aklshd e a Dems também, claro u-u

Oi negada c:
Postei rápido né? Fiz tudo hoje e gostei desse capítulo! Não ficou muito profissional, os dois "machões" são muito babacas, isso sim asldkhasd Enfimmm, eu tô muito doida hoje, vou ficar acordada até tarde pra assistir Saramandaia! -qqq
Eu amo essa novela gente aahsuahs enfim, fiz as pazes com o meu irmão, a gente até jogou Mario World juntos ç_ç' Eu tô viciada numa banda foda, ela não é muito conhecida. O nome dela é Tio Che. Recomendo pra quem gosta de punk rock ♥ Tô animadíssima, quero passar a noite conversando com vocês, mas vou ter q sair pq vou tomar sorveeete alksdh chorem. Beeijos2' amores, e comentem muito!

18 de set de 2013

Fiz um selinho! + Aviso



Regras:

Repassar o selo para 6 blogs;
Responder as perguntas abaixo.


01. Qual a história da sua URL?

Eu estava com uma música na cabeça, o tempo todo cantando. Aí quando criei o blog, juntei o come on baby girl da música com alguma coisa a ver com jemi, e deu isso c:

02. O que mais gosta de fazer nas horas vagas?

Ler, ouvir música e assistir filmes.

03. Animal preferido?

Eu tenho uns quatro gatos aqui em casa aklhdfad eles são muito fofos, amo eles

04. Cite algumas músicas que goste.

. Geração Coca Cola – Legião Urbana
. When I Was Your Man – Bruno Mars
. Mirrors – Justin Timberlake
. Black Keys – Jonas Brothers
. Begin Again – Taylor Swift
. Made in the USA – Demi Lovato
. Stars Dance – Selena Gomez
. Como é bom ser livre – Tio Che

05. Comida preferida?

Pizza *u*

06. Cite algumas esquisitices suas (todo mundo tem, né u_u)

. Eu tenho muitas paixonites por atores de novela. No momento estou apaixonada pelo Sérgio Guizé (O João Gibão de Saramandaia. É alksgdjgd amo ele u-u)
. De vez em quando eu fico olhando pra tudo e imaginando como o mundo é belo. Pareço uma retardada no meio da rua.
. Eu falo sozinha (preciso de uma opinião inteligente de vez em quando!)
. Eu tenho manias muito feias. Não sei me comportar direito e às vezes falo igual um garoto.
. Gosto de falar palavrão e acho bonita a palavra “porra” alskhdhd vai entender.
. Eu amo ouvir músicas pouco conhecidas por que nunca vira modinha e eu não preciso enjoar da música.

Repassando para:



Oi gente! Acabou q eu nem fui pra casa da minha mãe alkhdajgd pois é, eu conversei com ela e por enquanto vou ter q aguentar esse traste! Eu já estou um pouco melhor, apesar do meu pequeno bloqueio emocional :c Muito obrigada pelos comentários no post passado, me ajudaram muito! O capítulo vai demorar um pouquinho pra sair, ok? Repassem o selinho c: Beijos ♥

Passem nos blogs da Larissa!


17 de set de 2013

Aviso



Como eu queria dizer isso pro meu irmão agora... Affs.


Vou dar um tempinho no blog. Calma, não se assustem, não vou parar de escrever aqui! Não sei quanto tempo vou ficar fora do ar. Tive uma briga feia com o meu irmão e resolvi sair de casa. Calma, não é nada sério. Eu só vou morar com a minha mãe. Ainda não me acostumei com a ideia da mudança e tá sendo muito difícil pra mim. Na casa da minha mãe não tem internet, mas vou arranjar um jeito e tentar postar. Enfim, é só isso. Eu tô muito mal, preciso ir. Beijos meus amores, até mais! Amo vocês

16 de set de 2013

01. Don’t trust me




Um tropeço pode evitar uma queda.

‘ Por Selena Gomez.
Estourei uma bola de chiclete e pisei fundo no acelerador. Demi se remexeu um pouco no banco ao meu lado e colocou os óculos escuros. Nenhuma notícia de Wilmer por enquanto. Justin folheava um guia turístico de Los Angeles, mas perdeu o interesse poucos segundos após começar a ler.
- Aí Selena, será que você pode encostar o carro só por um instante? – pediu Justin impaciente. – Eu tô precisando dar uma mijada, tipo agora.
- Não vai dar amor – murmurei acelerando mais ainda.
- O que eu faço? Tô apertado! – reclamou. Demi pegou uma garrafa vazia de refrigerante que se encontrava no chão do carro e entregou a ele.
- Se vira. – ela disse com uma ponta de alegria.
- Pessoal... – alertei, avisando um conjunto de viaturas no desvio – Polícia na parada.
Demi se endireitou imediatamente no banco pondo o cinto de segurança. Justin escondeu o boné no bolso do casaco e eu diminuí a velocidade, ajeitando a peruca loira que se encontrava no lugar de meus cabelos. Eu piscava freneticamente. Droga, como essas lentes incomodam!
Um dos policiais veio até o carro e fez um sinal pra que eu baixasse o vidro. Obedeci e o cumprimentei com um sorriso assim que ele pôde enxergar meu rosto com nitidez.
- Documentos do carro e carteiras de identidade, por favor – falou ele com a voz grossa. Lancei um olhar de esguelha para Demi e ela abriu o porta-luvas tirando de lá alguns papéis. Junto deles estavam nossas três identidades falsas que eu entreguei para o tira. Ele analisou as carteiras com cuidado e depois devolveu, sem mudar de expressão.
- Tenham uma boa viagem.

‘Por Wilmer Valderrama.
Eu andava de um lado para o outro impaciente. Kurt apenas me observava, contando o dinheiro em suas mãos.
- Eles estão demorando demais! – exclamei perdendo a paciência. – Já deviam estar aqui há horas!
- Não faz nem meia hora que a gente chegou em L.A – falou ele tranqüilo –Tua quadrilha é responsa, relaxa que eles já vão chegar.
Suspirei sentando-me no sofá. Olhei pela janela e encarei o letreiro do maior hotel de Los Angeles. A campainha tocou e eu corri pra atender.
- Até que enfim... – sussurrei antes mesmo de abrir a porta, mas não avistei Justin nem Selena, muito menos Demi. Havia uma mulher ruiva parada na minha frente com uma bandeja em mãos.
- Seu pedido – ela disse com a voz afável. Pediu licença e depositou a pequena bandeja de porcelana sobre a mesa mais próxima, saindo em seguida. Kurt tirou a tampa da bandeja e aquele cheiro enjoativo de queijo invadiu todo o quarto.
- Você pediu isso? – perguntei fechando a porta, e me tocando de que Kurt não precisava mais ficar ali - O  que tá esperando pra ir embora? Já pode ir, não preciso mais de você.
- Isso é serio rapá ? – me encarou – Tu sabe que se eu não tivesse te tirado lá, tu ia tá nas mãos dos tiras agora né? Se liga!
- Muito obrigado pelo favor, mas eu já te paguei por isso! – falei irritado – Agora se manda daqui!
- Tudo bem, tudo bem – Kurt suspirou levantando do sofá – Quando precisar eu tô por aí – Disse isso e se retirou arrastando os pés.
Me joguei sobre a cama e fechei os olhos, suspirando forte. Meu corpo doía e minha cabeça também. Resultado de tanto esforço que tive na noite anterior. No final das contas, Demetria estava certa. Eu não devia ter voltado àquele prédio.

‘Por Demetria Lovato.
Nós havíamos acabado de chegar em Los Angeles. Pelo visto, Wilmer não escolheu bem o lugar. Eu nunca tinha passado por essa cidade, por incrível que pareça. Nós não costumamos deixar nosso rastro em lugares muito freqüentados por turistas e com grande probabilidade de fiscalização. Havia policiais, guardas e fiscais por todo lado!
- O Wilmer cometeu um erro ao escolher esse lugar pra gente ficar – murmurei virando-me para encarar Justin. Percebi que ele mantinha um cigarro aceso pendurado na boca – Tá maluco? – tirei o cigarro da boca dele e olhei o filtro a procura da marca.
- Isso é maconha – Selena disse. É claro que é maconha. Apaguei-o no banco do carro e revirei os olhos para Justin.
- Você nunca vai aprender. – eu disse. Selena parou o carro em frente ao hotel onde Wilmer estava.
- Olha aqui, Demi. – Justin protestou – Se for pra você ficar me censurando desse jeito, eu não acho que isso vá dar certo! Se não fosse eu que tivesse te tirado daquele metrô naquele dia, você...
- Ah, ótimo Justin! – bati palmas – Você vai desenterrar as coisas do passado agora?
- Para de briga porra! A gente tá no estacionamento. – Selena disse cuspindo o chiclete.
- Lá vem você com seu sermãozinho de sempre, Demetria! – Justin ignorou Selena – Não foi minha a idéia de voltar pro Canadá e enfrentar aquele bando de traficante! Foi sua! – colocou o dedo na minha cara.
Eu odiava quando Justin tocava nesse assunto! Eu não gosto desse garoto, nem sei por que esse idiota entrou pra equipe!
- Não força a barra! – gritei me inclinando no banco.
- Vai se foder Demetria! - ele tirou o cinto de segurança e pegou sua mochila.
- Calma porra! – Selena gritou.
- Vai se foder você também! – disse isso e saiu do carro. Encostei a cabeça no painel. Eu estava cansada.
- Quando isso vai acabar? Quando a gente vai parar de fugir? – suspirei e Selena deu de ombros – Nós temos que pegar pesado sempre?
- Um dia isso passa. – ela sorriu – Um dia nós vamos poder andar pela rua sem nenhuma suspeita. Só vamos ter culpa e remorso por tudo o que nós fizemos. Mas passa.
- É – sorri – Agora vamos logo por que o Wilmer deve estar furioso.
- Nem me fale – ela revirou os olhos e abriu a porta do carro.


‘Continua.


Happy 21th birthday, Nicholas. I love you ♥
Oi divas. Tudo bem? Comigo mais ou menos, mas deixa pra lá. Primeiro, me perdoem pela demora. Eu fui passar o fim de semana na casa da minha mãe e lá não tem internet. Pois é gente, eu tô sentindo falta de algumas leitoras por aqui... Então eu queria perguntar: Vocês estão gostando dessa nova fic? Por que muita gente prefere aderir à comédia. Me respondam por favor? Ah, e obrigada pelos comentários, mesmo sendo poucos foram muito importantes pra mim. Eu tô passando por uma fase meio estranha. Não se assustem alskdas. Posto assim que puder, ok filhas? Amo vocês e por favor comentem. Beijos

9 de set de 2013

Stay - Prólogo



Introdução:
Nós tivemos nosso passado, eu sei. Deixemos isso para trás. Porque nada disso dura e tudo o que temos é esta noite. Agora que a dor passou, não precisa ter medo. Nós não temos tempo para desperdiçar. Só me diga que vai ficar. Fique por mim.

‘Por Demetria Lovato.
Faltavam 16 minutos para a meia noite. Eu estava sozinha em casa e poderia ter certeza que Justin chegaria em alguns minutos. Toda noite de quinta-feira ele fazia isso. Nós morávamos em casas diferentes, tínhamos empregos de fachada e vivíamos discretamente para não levantar suspeitas. Já alertei Justin milhares de vezes pra ele não me fazer visitas na madrugada, mas ele nunca me obedeceu. Eu não tenho muitos vizinhos, mas os poucos que se mudaram pra cá depois que cheguei em Dallas são bem observadores. Levantei da cama num pulo, ligando o abajur em seguida. Caminhei silenciosamente até a penteadeira e abri a segunda gaveta. De lá tirei minha pistola Desert Eagle novinha e alisei sua superfície. Ouvi um barulho do lado de fora seguido por uma voz rouca chamando pelo meu nome “fictício” Deborah. Vesti um roupão preto e fui atender a porta. Justin adentrou a casa brutamente, soltando a fumaça de seu cigarro em meu rosto.
- Já falei pra não me fazer essas visitinhas inusitadas, Bieber! – reclamei zangada.
- Como se não tivesse acostumada a fazer isso – ele fechou a porta.
- O que quer dizer? – cruzei os braços.
- Wilmer não para um instante! – Justin ignorou completamente a minha pergunta – Ele voltou àquele prédio pela terceira vez.
- Como ele pode ser tão idiota? – bufei dirigindo-me até a cozinha – É um roubo muito arriscado e nós não estamos preparados pra isso. – pausei – E se a polícia pega ele, o que vai ser da equipe? Vamos pra cadeia todos juntos? – neguei com a cabeça – Idiota.
- É por isso que a Selena está vindo pra cá. Se alguma coisa acontecer o Wilmer vai avisar de alguma forma. E aí, fugimos todos juntos. Entendeu?
- Sim – suspirei – Fugimos pra onde?
- Ainda não sei, mas... Wilmer deve saber. – ele foi até a geladeira e tirou de lá uma garrafa de cerveja.
- É impressionante como você joga tudo nas costas do coitado! – fiz um sinal de negação e encostei-me à porta.
- Ele é o chefe – Justin deu de ombros.
Ouvi batidas fortes na porta. Dei um sobressalto.
- É a Selena – ele falou tranqüilo – Acho que ela trouxe novidades.
Revirei os olhos e corri até a porta; as batidas estavam cada vez mais altas.
- Sujou – Selena disse assustada – Vamos direto pra Los Angeles. Agora.

‘Por Carly Louise.
Olhei pela janela do carro e pela décima vez perguntei ao meu pai se já estávamos chegando. A resposta era sim, como foi também nas primeiras cinco vezes em que eu perguntei. Afaguei o buquê de rosas brancas em minhas mãos e aproximei-o do nariz para inalar o aroma. Eram as preferidas de minha mãe.  A propósito, hoje faz oito meses que ela faleceu. Meu pai não sabe como conversar comigo sobre isso, e eu também não. Ela faz muita falta.
- Chegamos – ele me olhou sorrindo fraco e eu pude ver a tristeza em seus olhos. Acariciei seu ombro e nós descemos do carro juntos, de mãos dadas. 
- Acha que pode fazer isso? – perguntei o olhando, enquanto nos dirigíamos ao túmulo. Ele não havia superado isso, nem um pouco.
- Sim – ele murmurou com a voz rouca, abandonando minha mão e segurando com força as flores que carregava. Olhei para meu pai com um pouco de pena. Ele não teve culpa de nada. Antecipei-me em colocar as rosas na lápide antes dele e meus olhos marejaram assim que li o que estava escrito na pedra de mármore.
Camilla Belle Jonas
Esposa fiel, amiga dedicada e mãe abençoada.

 18/03/1990   17/05/12

- Joe? – chamei. Ele me olhou estranhamente e eu corrigi – Pai. Sua vez.
Dei alguns passos pra trás e ele beijou o buquê antes de depositá-lo no túmulo.
- Eu amo você – sussurrou com a voz falha – Sinto sua falta.

‘Continua.



Oi qridas :*
Tudo bem com vocês? Comigo tudo ótimo, pq eu acho q vou pro show do Nando Reis q vai ter esse mês aqui em Fortaleza \o/ açsljdlakc tô tãão feliz (: Enfim, pras perguntinhas no post passado: A fic NÃO é Dilmer. Deus me livre! Tudo bem q eu gosto de Dilmer e até apoio, mas sou louca por Jemi e fim u-u.
Gostaram do prólogo? Eu até gostei. Quase não posto ele hoje pela falta de comentários... Pessoas, comentem por favor :c Não vou postar o 1º capítulo enquanto não tiver coments. Entendam esse meu lado, cara isso é chato... Ah, e pra quem quis entrar no Lucky e não conseguiu... Bem, eu excluí aquele blog. Me perdoem, mas é muito difícil tomar conta de duas fics e eu não tava conseguindo escrever nada por lá por isso tomei a decisão. Me desculpem. Então, fiquem com Deus e comentem aí. Beijos2' miguxas



7 de set de 2013

Stay – personagens

P E R S O N A G E N S – P R I N C I P A I S



Demetria Devonne Lovato Uma mulher nada doce e nada fofa. Ela é um perigo; um camaleão. Integrante de quadrilha profissional e fora de visão dos policiais. Sedutora e capaz de fazer tudo pra conseguir o que quer. Possui uma forte atração pelo chefe da quadrilha, Wilmer. Mas deixa isso de lado sempre pra não prejudicar a si mesma. Deixou a família e os amigos para entrar no mundo do crime. Mas a vida dessa linda mulher esconde muitos segredos. Solteira, 23 anos.



Wilmer Thiago Valderrama – Chefe de quadrilha. Um homem possessivo, arrogante e muito discreto. Nunca esteve na mira dos policiais, sempre tem brecha pra fugir. Ardiloso, sensual e muito inteligente. Na vista dos outros, um rapaz gentil, suave e delicado. Anda sempre por trás de um disfarce incógnito. Órfão, Solteiro, 31 anos.



Justin Drew Bieber – Para os outros ele é apenas um fracassado que abandonou a família para se dedicar as drogas. Inconsolável, apenas. Ele não aprendeu muito da vida e teve uma infância prejudicada pela separação dos pais. Depois disso passou a andar em gangues e acabou sendo apresentado a cocaína, ao crack e a maconha. Foi numa festa que conheceu Selena, sua atual namorada. Ela o convenceu a entrar pra quadrilha e a partir daí Justin teve a sua vida escondida atrás de um disfarce. 25 anos.



Selena Marie Gomez – Sim, ela é fofa e tem cara de patricinha. Se veste como uma. Por trás dessa máscara existe uma pessoa astuta e muito prudente. Ela é linda, sexy e persuasiva, consegue tudo o que quer, na hora que quer. Sente um amor muito forte e muito quente por Justin. Sempre alerta, ela é uma das pessoas mais importantes do bando. 22 anos.



Joseph Adam Jonas – Um homem educado, gentil, muito justo e alegre. Joseph é um publicitário bem sucedido. Perdeu a mulher muito cedo em um acidente de carro. Culpa a si mesmo por isso todos os dias.  Deposita todo o seu amor em sua única filha, fruto de sua falecida esposa Camilla. Ele gosta de sair pra se divertir, sempre indo à festas e bares. Mas isso nunca o afastou de sua filha. Um homem charmoso, lindo e sensual. Solteiro, 27 anos.



Carly Louise Jonas – Uma menina doce, linda, amigável e inteligente. Transborda alegria por onde passa. Seu maior objetivo é conseguir preencher o buraco vazio no coração de seu pai. Ela tem poucos amigos, mas esses são verdadeiros. Com apenas onze anos ela consegue aconselhar pessoas e até resolver problemas vistos como impossíveis. Uma garota muito avançada. 11 anos.

P E R S O N A G E N S – S E C U N D Á R I O S

Nicholas Jerry Jonas
Miley Ray Cyrus
Paul Kevin Jonas II
Danielle Deleasa Jonas



Oi meninas <'3
Quem gostou da apresentação dos personagens? Eu gostei e gostei muito. Não ficou muito complicado de entender que vai ter sangue nessa fic, não é? ahsuahsuahs vai ter sim. Ação e suspense também não vai faltar pq eu estou inovando na escrita e deixando a comédia um pouco de lado. E... Essa fic vai ser um pouco hot. Já vi q algumas pessoas gostaram do layout, e eu tbm gostei (: Esse lay foi a tori diva q disponibilizou. E eu sou apaixonada pelo Daniel Radcliffe, por isso fiz um feat. dele ♥ E pra quem tava perguntando, a música Stay é do Nick Jonas and the Administration lsalkjhczxc não tem nada de Rihanna.
E muito obrigada pelos comentários no último capítulo! Eu chorei lendo c: vocês são demais!
Amo vocês. Hey, não esqueçam de comentar! Beeeeijos2' migas.



4 de set de 2013

35º Capítulo – Be mine (Fim)


 

Antes de lerem, quero q saibam que peço desculpas pelo final inesperado. Vocês foram as melhores leitoras do mundo e não merecem um final escroto como esse. Me desculpem, mesmo. Aqui está o capítulo e se gostarem, comentem. Se não gostarem, comentem tambem. Eu amo vocês, juro. Só que estou deprimida, sem tempo  e sem inspiração. Isso foi o melhor que eu pude fazer. Nos vemos lá em baixo.
- Por Nicholas Jonas.

- Eu tenho que ir agora – Miley sorriu, levantando-se da cadeira.
- Eu te levo – bebi o resto do vinho e joguei algumas notas na mesa, acompanhando-a até a porta.
Ela não respondeu, apenas abriu a porta do meu carro e entrou. Eu também não disse nada. Pra falar a verdade eu estava feliz. Era a primeira vez que eu estava sendo sincero com uma garota. Entrei no carro e saí cantando pneu. Sim, eu estava tentando impressionar.

- Por Miley Cyrus.
Assim que entrei em casa percebi que ele estava atrás de mim.
- O que foi? – cruzei os braços e sorri.
- Eu estava pensando... Se poderia pegar aquelas azeitonas. – falou Nick.
- Gostaria dessas azeitonas em um copo de vinho?
- Está tentando me embebedar?
Eu não respondi, apenas abri a porta e ele sentiu-se convidado a entrar.
 - Quando a gente vai sair de novo? – perguntou ele enquanto eu ia até a geladeira.
- Qualquer dia desses... Eu posso ir – soltei o cabelo e joguei o pote de azeitonas nas mãos dele. – Depois que eu der aula.
- É você? – ele perguntou olhando nos meus olhos.
- Eu o quê? – sorri, correspondendo ao seu olhar.
- A menina que vai mudar a minha vida? – continuou me encarando e eu pensei que fosse algum tipo de joguinho.
- Mudar a sua vida... Tipo, pra você ficar mais educado? – sorri indo na onda dele, mas Nick não sorriu, apenas continuou me olhando.
- Não... Tipo, a que vai me mudar... De vez mesmo. – ele se aproximou de mim e me beijou sem cerimônia, com vontade. Eu não soube como reagir, apenas correspondi. Só nos separamos quando o ar faltou.
- Uau... – eu sussurrei e ele sorriu, voltando a me beijar calorosamente.

- Por Demetria Lovato.
Algumas horas depois...

- A chuva já passou? – perguntei indo até Joseph que continuava na cozinha.
- Até parece que você não tá ouvindo. – ele sorriu.
- É que eu queria que você falasse alguma coisa, há horas que você tá calado aí...
Joe olhou em seu relógio.
- Não faz nem cinco minutos – sorriu.
- Joe... – me escorei na porta – Depois que eu sair daqui, o que vou dizer pra Miley? Tipo... Sobre nós? – gaguejei – É que ela me perguntou hoje o que tava rolando e tudo bem que e...
- Ei – ele interrompeu sorrindo – Diz a verdade.
- Que verdade? – me fiz de desentendida e ele piscou pra mim.
- Essa – se aproximou de mim com um beijo ardente e empolgado.
 - Humm... – sorri e olhei em seus olhos – Já tá ficando meio tarde, e hoje é o meu dia de fazer o jantar.
- Não quer jantar aqui? – ele me olhou lambendo os dedos sujos de doritos.
- E a Miles? – perguntei.
- Chama ela também. Aproveita e chama o Nick, acho que eles estão se pegando.
- Como sabe disso?
- Sei de tudo neném – se gabou e eu o olhei desconfiada – Mentira amor, o Nick me disse.
- Você me chamou de amor? – meus olhos brilharam.
- Chamei – Joe deu de ombros. Ele aparentemente não sabia o que aquilo significava. Pulei em cima dele e dei-lhe um beijo estalado.
- Calma aí... – ele riu me colocando no chão. - O Kevin chega já, já pra buscar os cachorros e eu não quero que ele veja isso. Ele saiu com sua nova “amiguinha” Danielle. – fez aspas no ar – Acho que estão ficando.
- Cadê os cachorros? – perguntei.
- Eu os tranquei no porão. Relaxa que eles já estão acostumados, toda vez que vêm pra cá é a mesma coisa. – sorriu.
- Tadinhos... – suspirei.

- Por Narradora.


A noite se passou tranquilamente. Miley, Nick, Joe, Kevin, Danielle e Demi jantaram em um clima bom, que não havia naquela casa solitária há algum tempo. Danielle e Kevin estavam apenas saindo, mais nada-por enquanto -. Miley e Nick disseram a verdade: Eles estavam apenas ficando. Ninguém se surpreendeu ao Demi contar a novidade a todos. Já sabiam disso. Aliás, haviam suspeitado desde o início. E aqui nossa história termina com um velho clichê: Eles viveram felizes pra sempre. Estavam livres da perfeição que só fazia estrago.

THE END.

Ok, gente, eu espero que me perdoem por esse final. Ficou mal escrito e com muito diálogo besta. Eu estava doida pra terminar essa fic hoje, e isso foi tudo o que eu consegui. Estou morrendo de dor de cabeça e com uns probleminhas pessoais. Essa fic não vai ter epílogo, amores. Ela me lembra uma pessoa que eu quero esquecer, por isso ficou tão ruim assim. Espero que comentem mesmo assim :c Amo vcs. Beijos2'

2 de set de 2013

34º Capítulo – Together (ULTIMOS CAPÍTULOS)




- Por Miley Cyrus

- E aí... – sentei na cadeira acenando para Nicholas. A chuva estava muito forte mesmo e na televisão anunciava que seria uma das piores chuvas de verão de Nova York.
- Oi – ele colocou o cardápio sobre a mesa – Parece que as nossas criancinhas se entenderam – riu.
- É... A Demi tava um trapo, coitada. Aí ela achou um boneco do Joe cheio de alfinetes. Ela ficou muito entusiasmada, você precisava ver. Depois que eu saí de lá ela se mandou pra casa dele. – falei.
- Hum... – ele pensou um pouco – O Kevin deixou os cachorros dele lá hoje mais cedo.
- Você acha que eles estão fazendo...? – eu perguntei sorrindo.
- Na frente dos cachorros.
- Estilo cachorrinho – nós rimos.
- Mas acho que é um bom começo pros dois. – falou ele.
- Nossa, Nicholas. Não sabia que você era tão sentimental – pisquei.
- Eu não sou – engrossou a voz – Só às vezes... – sorriu. – Sou só quando estou com você.
Pigarreei alto e sorri. Nick entregou o cardápio pro garçom e fez um pedido.
– Vai comer o que? – ele foi educado.
- Um ravióli de cogumelos – eu disse. Foi a primeira coisa que vi no cardápio.
Nós ficamos conversando um pouquinho até que a comida chegou. Percebi que meu prato estava carregado de azeitonas. Resolvi deixar de lado.
- Você quer? – estendi o prato cheio de azeitonas pra ele – Eu odeio azeitonas.
- Você... – ele me olhou – Você odeia azeitonas, que máximo!
- O que? – olhei pra ele incrédulo.
- Ah – ele pausou – É que... A teoria das azeitonas.
- O que? – repeti.
- A teoria das azeitonas é baseada nos meus tios. Ela odeia azeitonas, ele ama. E de qualquer modo isso os torna um casal lindo – ele pôs uma azeitona na boca – Balance perfeito.
- Sabe... –me inclinei sobre a mesa. – Eu tenho um pote de azeitonas guardado na minha geladeira que eu nunca comi.
- Posso tirar de suas mãos – falou ele.
- São todas suas.

Por Demetria Lovato.

- VOCÊ NÃO CONSEGUE SER MELHOR QUE ISSO JOSEPH! VOCÊ NÃO É DE NADA!
- SE VOCÊ ME DEIXASSE FAZER O SERVIÇO DIREITO TALVEZ EU CONSEGUISSE! AAAAAAAAH!
- VOCÊ CONSEGUE SER MAIS RÁPIDO? ANDA LOGO, JOE, EU JÁ ESTOU CANSANDO. CHUPA OTÁRIO!!
- É – Joe colocou o controle do videogame sobre a mesa – Foi uma boa partida.
- E você me deve vinte dólares – sorri.
- Você trapaceou! – ele disse rindo.
- Eu não!
- Chata!
- Idiota!
- Besta!
- Vacilão!
- Linda – ele me beijou e eu retribuí. A chuva lá fora caia forte. Estava frio e eu mal conseguia ficar um minuto sem estremecer por causa dos fortes trovões. – Quer um chocolate? – parou o beijo.
- Sim.
Não pude deixar de rir quando ele se virou e eu pude ver a enorme tatuagem dele.


To Be Continued.


ITCHÊ!


Ficou uma merda esse capítulo :( Eu não sei o que fazer com Niley, me digaaaaaaam :c Jemi eu já sei, mas Niley tá dificil pq eu não tinha nada planejado pra eles. Sou muito burra, aff. Kenielle eu tbm já sei, só falta Niley. Eu já decidi o enredo da nova fic. Vai ser de suspense/ação/drama/romance/comédia e etc alkshdsajdgh só pra sair da comédia um pouquinho. Já fiz os personagens e o prólogo. Vai ter criança na fic, ok? Enfim, comentem aí divas. Beijos2'